Universidade de Itaúna assina novo convênio internacional

                             

A Universidade de Itaúna e a Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais assinaram convênio com o Instituto Euro-Latino Americano de Estudos visando à integração com instituições do ensino superior da Espanha.

O objetivo do acordo é a cooperação no campo de pesquisa em programas de Pós-Graduação, Seminários e Formação Profissional e outros programas relacionados com o tema do Direito Comunitário, Direito de Integração e a Proteção de Direitos Fundamentais.

O acordo foi firmado depois do sucesso de dois seminários internacionais realizados na Universidade de Itaúna e na Procuradoria Geral de Justiça, em virtude de convênio assinado com a Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente (Ambrapa), Procuradoria Geral de Justiça  e com a Universidad de Castilla, da Espanha.

Na época, os simpósios debateram sobre a proteção ambiental dos cenários nacional e internacional que contaram com a presença do o reitor da Universidade de Itaúna, Dr. Faiçal Freire Chequer, do presidente da Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente, Dr. Jarbas Soares Júnior, o procurador geral de Justiça, Dr. Alceu Torres, além de promotores de Justiça, procuradores da República e da Justiça de todo o país.

Professores de Universidades espanholas também prestigiaram o evento, como Carlos Francisco Molina del Pozo e Alma Patrícia Domingues, que discorreram sobre os desafios e perspectivas da proteção ambiental na Europa e no Brasil.

Sobre o convênio

O presidente da Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente, Dr. Jarbas Soares Júnior salientou a importância do convênio que une a Universidade de Itaúna com a Procuradoria Geral de Justiça e instituições internacionais.

“Conheço a Universidade de Itaúna e o trabalho desenvolvido pelo Reitor Faiçal Chequer que considero o JK das Universidades Brasileiras. Não tenho dúvidas de que teremos muitos outros eventos através deste convênio entre a Universidade, a Procuradoria Geral de Justiça e a Ambrapa”, destacou.